Meningite B e o perigo crescente no Brasil

A meningite é uma doença que causa a inflamação das meninges, as membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Ela pode ser causada por vírus, bactérias e fungos, ou por outros fatores severos derivados de alergias, consequências de algum tipo de câncer, e outras inflamações. A meningite é uma doença perigosa que pode atingir pessoas de todas idades e pode ser fatal. Bebês menores de 2 anos correm ainda mais risco, pois seu sistema imunológico não está totalmente formado.

 

A meningite viral é o caso mais comum da doença, mas é a menos perigosa, muitas vezes não requer um tratamento mais intenso. Já a meningite bacteriana é a mais perigosa, e diversos tipos de bactérias (assim como seus sub-tipos) tem o poder de causar a doença. Tanto a meningite viral quanto a bacteriana, no entanto, podem acarretar em surtos, o que ativa o alerta da saúde pública. A meningite fúngica é a mais rara, mas pode ser tão perigosa quanto à bacteriana. Considerada uma doença endêmica no Brasil, todo os anos é esperado que ocorram surtos ocasionais de meningite no país.

 

Embora diversos tipos de bactérias possam causar a meningite, existem quatro tipos mais importantes. A Streptococcus penumoniae (pneumococo) é a mais comum entre todas. A Neisseria meningitidis (meningococo) é outra bastante comum, a qual possui um sub-tipo B e C que são os maiores causadores da meningite no Brasil. A Haemophilus influenzae costumava ser a maior causa de meningite em crianças, mas no Brasil ela conseguiu ser controlada pela vacinação. Por fim, a Listeria monocytogenes não causa sintomas na maioria das pessoas expostas a ela, porém mulheres grávidas, pessoas com imunidade comprometida, recém-nascidos e idosos são mais suscetíveis a este tipo de bactéria.

 

A bactéria meningococo tipo B e tipo C são as maiores causadoras de meningite no país. Estima-se que o tipo B represente 20% dos casos de meningites meningocócicas, atingindo com mais frequências as crianças com menos de 5 anos. A meningite bacteriana tipo C é o causador mais perigoso e tem mais frequência que o tipo B. No entanto, a inclusão da vacina contra o tipo C para crianças de até 2 anos no Programa Nacional de Imunização fez com que a incidência de casos nessa faixa etária diminuísse, enquanto que a vacina para o tipo B só existe em clínicas particulares.

 

Por ser a mais perigosa, a bactéria meningococo tipo C tinha o maior alerta no país. Porém, com a vacinação gratuita nacional direcionada a ela, a meningococo tipo B, que até 2015 não tinha nenhuma vacina fabricada no país, nem mesmo em clínicas particulares, tomou o lugar com o maior alerta.
No Brasil, o SUS disponibiliza vacina para as bactérias H. influenzae tipo B, N. meningitidis do tipo C e S. pneumoniae. A vacina contra o tipo B existe apenas em clínicas particulares, mas é importante dar prioridade às crianças recém-nascidas, e respeitando a quantidade de doses e intervalo entre elas. A vacina disponível no Brasil permite prevenir contra 81% dos meningococos tipo B e está licenciada para indivíduos até de até 50 anos de idade.

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *